2 de abr de 2014

Pioneiro: Calil Haddad

Ao questionar qualquer maringaense sobre um personagem de destaque nas artes cênicas em nível local, certamente, boa parte fará alusão do nome cedido ao teatro municipal: Calil Haddad. Apesar da exatidão, poucos trarão detalhes acerca deste homem.

Calil Haddad nasceu em 26 de setembro de 1926, na cidade de Jaú, interior de São Paulo. Cursou o primário na Escola Isolada de Jataizinho e o ginásio no Colégio Cristo Rei, em Jacarezinho-PR. Segundo relatos, Calil se destacava nas disciplinas de francês, latim e matemática.

Tendo vindo para Maringá em 1946, a família Haddad composta por doze membros, incluindo seu patriarca Nassib Haddad e sua matriarca Regina Haddad, organizou-se junto ao comércio local na área que ficaria conhecida anos mais tarde por “Maringá Velho”. Mais tarde, já formado em direito, Calil não exerceu sua profissão. Na verdade, começou a lecionar e descobriu sua vocação em sala de aula.

Sua grande paixão, no entanto, se voltava ao teatro. Calil havia se tornado frequentador assíduo de circos, salões paroquiais e programas de auditório. Com frequência seguia para as grandes capitais a fim de presenciar os maiores espetáculos do país.

Munido desses sentidos aguçados para as artes cênicas, fator raro de se encontrar em zonas pioneiras em formação, Calil começou a planejar a constituição de um grupo de teatro amador na cidade. Foi Victor Andreatta – um alemão radicado no Brasil e que dedicou boa parte da vida ao circo – que transmitiu a Calil Haddad os conhecimentos sobre direção teatral e os melhores meios de extrair o potencial de uma pessoa no ato de atuar.

Contudo, mesmo com toda a estrutura teórica, o maior desafio de Calil foi angariar pessoas para os palcos. Mesmo sendo amadorístico, os habitantes da década de 1950 se dedicavam integralmente as suas atividades profissionais, restando pouco ou nenhum tempo para o ócio.

Transpondo essa barreira natural, Calil empregou seu olhar clínico pelas vias públicas em busca de cidadãos comuns. Uma das primeiras a serem arregimentadas para seu projeto foi Leila Assef, que até então era proprietário de um bar na Vila Operária. A partir dela, outros vieram a integrar o pequeno grupo que deu origem ao Teatro Maringaense de Comédia (TMC), em 1956, e que passou a contar com a direção de Calil Haddad.

O TMC improvisou como seus locais de ensaio e apresentações o salão paroquial da Igreja São José, o auditório da Rádio Cultura e o salão nobre do então Ginásio Gastão Vidigal. E, mesmo com as dificuldades financeiras, o grupo conseguiu apresentar sete espetáculos entre 1959 e 1968, tendo destaque de suas atividades na década de 1960.

29 de agosto de 1959. Apresentação da peça “Irene: comédia em 3 atos”, de autoria de Pedro Bloch.


Apesar de não ter sido o único grupo teatro existente naquele período – sabe-se da existência dos grupos de Oscar Leandro e do Teatro Pioneiro (GTP) – o destaque ainda fica com o organizado por Calil Haddad, devido ao grande número de pessoas mobilizadas em prol da arte na atuação naquele início de atividades artísticas em Maringá.

Fonte: Gerência de Patrimônio Histórico de Maringá / Acervo Maringá Histórica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário