28 de jun. de 2020

Assalto ao Bamerindus - 1975


Na tarde de 3 de dezembro de 1975 um assalto foi praticado por três elementos na agência do então Banco Bamerindus, localizada na avenida São Paulo. 

Eram 14h50 e caia um temporal pela cidade, por conta disso a agência estava praticamente vazia quando três homens entraram (um loiro e dois morenos). Um deles permaneceu próximo a porta de arma em punho, outro ficou apontando a arma contra o gerente, Izidoro Bonvecchio, e o terceiro se aproximou dos caixas. O gerente foi levado até o cofre, sendo obrigado a abri-lo. Posteriormente, mais dinheiro foi retirado dos caixas. Ao final, ambos evadiram do local com um Fusca branco. 

A descrição dos assaltantes para o retrato falado foi obtida pela Polícia Técnica de Londrina, que esteve na cidade um dia depois para realizar o laudo do crime, o exame no banco e nos alarmes. 33.700 cruzeiros foram levados. 

Um Fusca branco sem placas foi encontrado abandonado na manhã do dia 4, nas proximidades da então COBAL, atual Shopping Avenida Center. O carro havia sido roubado da residência de Edson Gandolfi. 

Um mês antes outra unidade do Bamerindus tinha sido assaltada em Maringá. Naquela oportunidade, os bandidos levaram da Agência Catedral 114 mil cruzeiros. Em ambos os delitos o alarme do banco não funcionou. 

O Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A (Bamerindus) mantinha sede na cidade de Curitiba. O grupo empresarial era de propriedade da família Andrade Vieira, tendo sido fundado por Avelino Antônio Vieira. Em 1994, entrou em dificuldades e acabou buscando apoio no Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (PROER). O programa de recuperação não obteve resultados e em 1997 houve a intervenção do Banco Central e uma parte do empreendimento foi incorporada pelo HSBC, e a outra parte, pelo Banco Central. Em julho de 2016 o HSBC Brasil foi vendido ao Banco Bradesco.

Fonte: O Diário do Norte do Paraná - 5 de dezembro de 1975 / Gerência de Patrimônio Histórico de Maringá / Acervo Maringá Histórica. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário