O Dia de Finados do maringaense em 1983

1983


O Jornal de Maringá, de 4 de novembro de 1983, destacou que o Dia de Finados na cidade transcorreu sem nenhum transtorno. Segundo noticiado, o esquema de segurança montado pela Polícia e pela Prefeitura, principalmente, com o objetivo de evitar problemas de trânsito e a exploração dos vendedores ambulantes, possibilitou a tranquilidade nas visitas ao Cemitério Municipal. 


Mais que hoje, o Dia de Finados na época mobilizava dezenas de milhares de pessoas ao campo santo. Sobretudo, os devotos e fiéis de santos populares não reconhecidos pela Igreja Católica. O exemplo mais comum é o túmulo de Clodimar Pedrosa Lô, garoto que foi assassinado pela polícia em 1967 após ser acusado de furto. Em seu túmulo há dezenas de placas com graças alcançadas. Centenas de velas são acesas nessa época do ano para o garoto no local. 

Fonte: O Jornal de Maringá de 4 de novembro de 1983 / Gerência de Patrimônio Histórico de Maringá / Acervo Maringá Histórica. 

Compartilhe

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Cookies: nós captamos dados por meio de formulários para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.