Misticismo Maringaense: O menino bandido Saroê

1960


Durante a década de 1960, 1970 e início da de 1980, a lenda viva que tomou conta do imaginário popular da Vila Operária e de Maringá, foi a do "Menino Bandido Saroê".

Essa personalidade, que andava nos caminhos fora da lei, tinha apreço pelo seu bairro de origem (Vila Operária) e assim assaltava em outras vizinhanças, devido a sua simpatia. 

A lenda, com ele em vida ainda, dizia que o Saroê tinha poderes paranormais, que o transformavam em objetos e animais variados. Esse seria um dos motivos que a polícia nunca conseguia prendê-lo. Quando estava em fuga dos policiais, se transformava em tocos, toras, árvores, etc.

José Miguel da Silva, nascido em 1951, chegou a ver Saroê em um bar que ficava na Praça das Américas, na Vila Operária.

Quando a lenda morreu na década de 1980, o misticismo aumentou, mas hoje, somente os maringaenses mais antigos se lembram do "Menino Bandido Saroê". 

Fonte: Entrevista com o historiador João Laércio Lopes Leal concedida ao autor em 31 de agosto de 2009. Entrevista com José Miguel da Silva concedida ao autor em 31 de agosto de 2009. Agradecimento ao Prof. Dr. Reginaldo B. Dias.

Compartilhe

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Cookies: nós captamos dados por meio de formulários para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.