As fontes de Américo Dias Ferraz e a Rodoviária Provisória

1957

O prefeito Américo Dias Ferraz (1956-1960) desejava construir sete ou oito fontes luminosas em Maringá. Li certa vez, que ele conseguiu erigir cinco. Conversando com o historiador Mestre João Laércio (DPH), analisamos que só temos fotografias de duas (Praça Raposo Tavares - foto abaixo - e na Praça Dom Pedro II - atual Centro de Convivência/Deputado Federal Renato Celidônio). Mas, e as outras três? Será que efetivamente foram construídas?


Essa foto me intriga muito. E acredito que também a outros pesquisadores e historiadores da história de Maringá. Vou explicar o porquê.

Na imagem vemos além da Praça Raposo Tavares com a fonte luminosa, do lado direito, uma estrutura que parece ser uma rodoviária. Conversando com outros pesquisadores, existe a suposição de que antes da Rodoviária Américo Dias Ferraz ser inaugurada em 1962, tenha funcionado em frente uma provisória. No entanto, acredito que nesse retrato, provavelmente do final de 1957, ainda não tínhamos a Rodoviária na Praça Napoleão Moreira da Silva, ou já tinha sido demolida. Mas essa afirmação não é certa, pois ainda vemos o famoso bosque de essências. Este só fora destruído, no final desse ano, após discussão de Américo com a CMNP.

Então ficam as questões da foto: essa estrutura da direita tería sido uma rodoviária provisória? Mas onde estaria a Rodoviária da Praça Napoleão Moreira da Silva? Ainda no "Maringá Velho" (importante citar que durante um curto período as estruturas do "Maringá Velho" e do "Maringá Novo" funcionaram ao mesmo tempo). Essa foto seria anterior ao ano de 1957 (com a fonte ainda em construção)?

Qual a sua opinião?

Fonte: Museu Bacia do Paraná - UEM

Compartilhe

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Cookies: nós captamos dados por meio de formulários para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.