As 10 maravilhas de Maringá “Antiga”.

1947

Analisando todos os debates iniciados por Dante Mendonça e Ângelo Rigon, que geraram extensa matéria no jornal O Diário do Norte do Paraná do dia 24 de julho de 2007, onde foram apontadas as sete maravilhas de Maringá. Farei uma relação das 10 maravilhas de “Maringá-antiga”, em outro post, falarei sobre outras 10, desta vez de “Maringá-moderna”.

Como é sabido, para fazer parte do hall das maravilhas mundiais, os selecionados devem ter sido edificados pelas mãos do homem, não sendo validada o poder de realização das mãos de deus, logo, os bens naturais não modificados, ficam de fora.

Segue a relação, na minha opinião, com as devidas justificativas, das referidas maravilhas. Primeiramente de “Maringá-antiga” (já demolidas e muitas no esquecimento público):


Sede da CTNP (Companhia de Terras Norte do Paraná)

Motivo: Além de ter realizada as primeiras aberturas na mata virgem da localidade onde hoje é Maringá, foi edificada no inicio da década de 1940, antes mesmo da fundação oficial da cidade. Também foi o principal alavancador imobiliário até meados de 1944.

Endereço: Era localizada na Avenida Brasil (próxima a atual praça Raposo Tavares)


Primeira estrutura (em madeira) do Aeroporto Dr. Gastão Vidigal.

Motivo: Edificado no inicio dos anos 1950. Passando a receber voos da Viação Real. Neste local o primeiro bispo emérito da história de Maringá, Dom Jaime Luiz Coelho, chegou em março de 1957.

Endereço: Não encontrei oficialmente. Mas imagino ser na mesma Avenida Gastão Vidigal (onde hoje é a Secretaria dos Transportes).


Hotel Campestre

Motivo: Primeiro hotel que a cidade possuiu. Construído no inicio dos anos de 1940. Ficou conhecido também por Hotel Maringá, devido a placa que ficava na parede do lado esquerdo da estrutura, sinalizando que os viajantes haviam enfim chego a cidade.

Endereço: Era localizado na Avenida Brasil esquina com a Rua Dr. Lafayette Tourinho.


Estação Rodoviária (a foto é da segunda estação)

Motivo: Além de ser uma edificação muito rústica, com fatos pitorescos diários, ficava localizada ao lado do Hotel Campestre. Sendo um dos motivos dos primeiros contatos com o mundo exterior.

Endereço: Era localizado na Avenida Brasil esquina com a Rua Dr. Lafayette Tourinho (região conhecida atualmente como “Maringá-Velho”).


2° Estação Rodoviária

Motivo: Durante um curto espaço de tempo, a primeira e a segunda rodoviárias funcionaram ao mesmo tempo, de 1952 a 1955. Ambas sendo responsáveis pela pujança de Maringá. Com esta alteração, a cidade mudou o formato de desenvolvimento, voltando os investidores para o chamado: “Maringá-Novo”.

Endereço: Praça Napoleão Moreira da Silva - Centro


Estação Ferroviária de Maringá

Motivo: Fundada entre 1952 e 1954, este último, foi o ano em que recebeu o primeiro trem de passageiros, a “Maria Fumaça” - 680, da Rede de Viação Ferroviária Paraná Santa Catarina - RVFPS, atualmente exposta no Parque do Ingá. Sem dúvidas, a estação foi o ponto central do desenvolvimento econômico da cidade.

Endereço: Ficava localizada atrás do atual terminal urbano.


Fonte Luminosa da Praça Raposo Tavares

Motivo: A população migrava diariamente para vislumbrar a Fonte Luminosa na Praça Raposo Tavares. Assim, a praça se tornava ponto de referência para todos os tipos de eventos.

Endereço: Era localizada no centro da Praça Raposo Tavares.


Aero Club de Maringá (sede social)

Motivo: As melhores festas da cidade aconteciam neste espaço. A “nata” da cidade, se encontrava neste local para debater desde assuntos políticos até sobre mulheres. Comentavam que o local era para ser visitado quando portava dinheiro para gastar, pois os custos eram elevadíssimos. Apesar disto, todas as classes frequentavam, quando podiam.

Endereço: Ficava localizado na avenida São Paulo (atualmente onde é o Mercadorama)


Catedral Santíssima Trindade

Motivo: Primeira igreja construída na área do “Maringá-novo”, sendo a precursora da Basílica Menor. Possuiu algumas variáveis ainda em madeira. Foi edificada com somente uma torre. Após um período, vislumbraram uma nova torre.

Endereço: Era localizado no coração de Maringá, ao lado da atual Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória.


Mural do Café

Motivo: Ilustrava a luta diária dos trabalhadores rurais na lavoura do café, através de pintura em azulejos. Foi encomendado em 1956 pelo o segundo prefeito de Maringá, Américo Dias Ferraz. Ele era o proprietário do local.

Endereço: Ficava localizado no interior do Bar Columbia, na Avenida Getúlio Vargas. Atual Mercadão 1 Real.

--------------

As fotos são do acervo imagético do Departamento de Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Maringá, Livro Maria do Ingá de José Hilário (contra capa), site www.maringa.com e http://www.estacoesferroviarias.com.br/pr-spp/fotos.

Compartilhe

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Inscreva-se

* respeitamos nossos inscritos, não enviamos spam.

Cookies: nós captamos dados por meio de formulários para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.