11 de out. de 2020

Torre do Relógio no Maringá Velho


Sempre surgem novos fatos do passado de Maringá a serem explorados. Alguns estabelecimentos e edifícios ainda possuem histórias pouco exploradas, seja pela inexistência de boas fotos ou mesmo de relatos e depoimentos. 

Um deles, sem dúvidas, é a primeira estrutura da Relojoaria Ômega, que foi inaugurada em 1947. Localizada na então rua Moscados (hoje Santa Joaquina de Vedruna), o estabelecimento era de propriedade dos irmãos Toshimi e Noriyasu Ishikawa. Ali se consertava de tudo, até mesmo armas. 

Em 1949, os sócios construíram um prédio que chamou muito a atenção nesse local. No topo dele ficava uma torre e, em sua base, um relógio. Em 1953, Toshimi resolveu abrir um empreendimento de maneira independente no Maringá Novo, foi quando transferiu o estabelecimento para a avenida Brasil esquina com a então rua General Câmara (atual Basílio Sautchuk), onde segue até os dias atuais com a mesma arquitetura. 

Ainda sobre o prédio com a torre e o relógio, existe um relato de que um dos proprietário havia se enforcado no local. Teria sido este o motivo da transferência do estabelecimento para outro endereço? Restam dúvidas acerca do tema. 


No alto do Edifício Langowski, que fica na avenida Brasil, vemos parte da família Langowski em 1952, por ocasião do casamento de Otília Langowski com Antonio Rossi. Aparecem na imagem (da esquerda para a direita): Eurico Bacon, Hortência Langowski, Lídia Bacon, Elói Bacon, Orlando Langowski, Otávio Langowski, Estevão Langowski, Eulália Langowski e Marta Langowski (adulta). 

Ao fundo dessa imagem vemos em destaque o prédio com a torre. 


Na próximo registro, em amarelo aparece o Edifício Langowski e, em vermelho, mais uma vez o prédio com a torre e o relógio.  

Você tem mais informações sobre este fato? Deixe um comentário. 

O pesquisador e parceiro JC Cecílio dá sua contribuição - Na torre do sobrado/relojoaria não havia relógio, tinha 4 janelas em arcos. Havia um enorme relógio dupla face no térreo.

Fonte: Acervo e contribuição de Eleuterio Langowski e Marco Antonio Deprá / Acervo Maringá Histórica. 

5 comentários:

  1. Na torre do sobrado/relojoaria não havia relógio, tinha 4 janelas em arcos. Havia um enorme relógio dupla face no térreo. Alguém tem notícia de Kuniyasu e Noriyasu Ishikawa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bacana a informação. Temos alguma foto mais próxima dessa estrutura? Pois os Ishikawa deram depoimentos sobre este relógio na torre...

      Excluir
  2. Em Maringá até as famílias tem versões de lendas urbanas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente. Postamos pelo fato de este assunto ser item raro de se encontrar em referências bibliográficas ou jornalísticas. A interação com outros pesquisadores sempre é fundamental. Por isso, agradeço sempre o compartilhamento de dados.

      Excluir
  3. Vejo por minha família, dados conflitantes em muitas narrativas (por isso não publico sem checar a autenticidade). Quanto ao sobrado, veja, por exemplo, a pintura da vista pintada da esquina Av. Brasil com Rua Moscados (supostamente datada de 1952) por Edgar O. (que geralmente reproduz de fotografias).

    ResponderExcluir