16 de set. de 2020

A duplicação da Avenida Morangueira

Com texto de Marco Antonio Deprá:

Durante a gestão do governador Jayme Canet Júnior (15/03/1975 a 15/03/1979) muitas estradas foram construídas no Paraná. Em março de 1979, o governador inaugurou o trecho asfaltado da PR-218 interligando as cidades de Iguaraçu, Astorga e Arapongas.

Imagem Google – Mapa parcial da região Norte do Paraná – Em vermelho, trecho da PR-218
inaugurado em março/1979. Em branco, trechos asfaltados das BR-369 e BR-376 já existentes à época.

Outro trecho de rodovia construído na região seria inaugurado somente na gestão de Ney Braga, sucessor de Canet no Governo do Paraná. Trata-se do trecho asfaltado da PR-317 ligando Iguaraçu a Maringá, inaugurado em 21/07/1979.

Imagem Google – Mapa parcial da região Norte do Paraná – Em vermelho, trecho da PR-218 inaugurado em março/1979. Em branco, trechos asfaltados das BR-369 e BR-376 já existentes à época. Em verde, o trecho da PR-317 inaugurado em 21/07/1979.

Imagem Google – Mapa parcial da região Norte do Paraná. Em vermelho o trecho da
PR-317, denominado Rodovia Deputado Silvio Barros. Em Maringá este trecho tem término
no trevo de acesso à Venda 200, localizada na antiga Estrada Morangueira (PR-454). Em
branco, a Avenida Morangueira, que liga a PR-317 à Avenida Colombo, em Maringá.

A construção dessas duas rodovias permitiu um novo acesso dos maringaenses a Londrina. Esta nova ligação poderia ser percorrida em menos tempo do que pelas antigas rodovias BR-376 e BR-369 que passam por cidades maiores e mais movimentadas, que à época eram cheias de sinaleiros e quebra-molas como Sarandi, Marialva, Mandaguari, Jandaia do Sul e Apucarana. Por esta razão, muitos moradores da região passaram a utilizar este novo caminho.

Isto fez com que o tráfego na avenida Morangueira em Maringá se tornasse mais intenso a partir dos anos 1980. Foi por este motivo que o prefeito João Paulino Vieira Filho, no início de sua segunda gestão à frente do Poder Executivo maringaense (01/02/1977 a 13/05/1982), envidasse esforços para obter financiamento para a duplicação dessa importante avenida, a fim de evitar este gargalo.

As obras de duplicação da avenida Morangueira começaram no segundo semestre de 1978. O trecho a ser duplicado tinha início no Colégio Estadual Dr. Rodrigues Alves, localizado na esquina com a Rua Antônio Amaral, e término no trevo de acesso à Venda 200, na Estrada Morangueira.

Possivelmente as obras de duplicação deste trecho da avenida Morangueira foram concluídas na mesma época da inauguração do trecho da rodovia PR-317 entre Maringá e Iguaraçu, em 21/07/1979.

Em maio de 1980 foram inauguradas as obras de urbanização da praça Ouro Preto, no cruzamento com a avenida Dr. Alexandre Rasgulaeff.

Imagem Google – Mapa parcial da região Norte de Maringá – Em branco, 1º trecho
duplicado da Avenida Morangueira. Em vermelho, o trecho a ser duplicado, da rua Antônio
Amaral até a avenida Colombo.

Mas o trecho da avenida Morangueira entre a rua Antônio Amaral e a avenida Colombo permaneceria por muitos anos sem ser duplicado, o que certamente gerou transtornos aos moradores e empresários daquela região da cidade.

As obras de duplicação deste percurso foram realizadas somente durante a gestão do prefeito Ricardo Barros (01/01/1989 a 31/12/1992) e exigiu a desapropriação de parte dos lotes de ambos os lados da avenida e a realocação de toda a rede de energia elétrica, de águas pluviais e de telefonia. O trecho já duplicado foi entregue ao tráfego em 29/12/1992.

Imagem Google – Mapa parcial da região Norte de Maringá – Em vermelho o 2º trecho da
Avenida Morangueira a ser duplicado.

Capa do Carnê do IPTU-1980 mostra imagem aérea do trecho já duplicado da “nova” avenida Morangueira, entre a praça Ouro Preto, na parte de baixo da imagem, até a rua Antônio Amaral.

Fonte: Acervo e contribuição de Marco Antonio Deprá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário