22 de ago. de 2020

Funerária Maringá e capela mortuária - 1975




Os registros são, possivelmente, de 1975. A Funerária Maringá, juntamente de sua capela mortuária, ficavam em frente da entrada do Cemitério Municipal, na atual rua Ver. Primo Monteschio (personagem que aparece ao centro da terceira imagem). 

Apesar de Primo Monteschio ter nascido em Sertãozinho, São Paulo, foi em Pitangueiras que cresceu e se casou com Ruth Martins. Da união surgiram seis filhos: Álvaro, Agda, Sônia, Maria Inês, Ivan e Marcos.

Em Maringá, mais especificamente no "Maringá Velho", Primo Monteschio chegou em 14 de abril de 1946. Como dentista prático, instalou o primeiro consultório odontológico naquela região. 

Nas primeiras eleições municipais, ocorridas em 1952, Monteschio ficou como suplente de vereador, cargo que chegou a ocupar até 1956. No pleito seguinte, venceu o páreo para o Legislativo Municipal. Fato que se repetiu em 1964. No ano de 1968, encerrou sua carreira política e focou em sua vida empresarial.

Primo Monteschio foi dentista prático, agricultor, piloto civil e comerciante de artigos dentários. No final da década de 1960, ao lado do filho Álvaro, fundou uma das empresas funerárias mais importantes do Norte do Paraná e do Sul do país, a Serviço Social e Luto Funerária Maringá. A empresa chegou a contar com uma frota especial para translado, além de uma capela mortuária e necrotério particular. Por meio do empreendimento ainda foi fundado o Plano Social Maringá, que era um conceito moderno para a época: com baixas mensalidades, todas as classes sociais poderiam se preparar para o momento da morte de um ente querido.

Primo Monteschio faleceu em 19 de outubro de 1986.

Fonte: Maringá Ilustrada - Maio de 1972 / Acervo Maringá Histórica / Contribuição de Marcos Monteschio. 

Um comentário: