3 de mar. de 2019

Contraste: Estação Rodoviária x Estação Ferroviária - 1962

À esquerda, a Estação Rodoviária. À direita, a Estação Ferroviária. 

Em outubro de 1962, o Poder Executivo Municipal passou a cobrar a Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA) por melhorias no pátio da Estação Ferroviária de Maringá. 

Ocorre que até aquele período, tanto o entorno do prédio da estação quanto o pátio de manobras ferroviárias ainda não haviam sido asfaltados. Em contraponto, bem à sua frente estava uma das estações rodoviárias mais modernas do sul do Brasil, inaugurada em maio daquele mesmo ano. A Estação Ferroviária, por sua vez, havia entrado em operação em janeiro de 1954. 

Não se tratava de mera estética, mas sim de funcionalidade. Para exemplificar, em dias de chuvas, caminhões não conseguiam acessar o pátio de manobras para realizar a carga e a descarga de mercadorias que por ali passavam. A dificuldade também se dava com os passageiros. 

O então prefeito de Maringá, João Paulino Vieira Filho, cobrou uma solução e, inicialmente, a RFFSA assumiu o compromisso de promover tal melhoria. Posteriormente, após conversas com o assessor da superintendência da RFFSA, Osmário Lopes dos Santos, em reunião na cidade onde participaram, além do chefe do Executivo local, o representante da Câmara Municipal de Vereadores, Ricardo Plepis, e o representante da então Associação Comercial e Industrial de Maringá, Paulo Fujiwara. Por fim, acordou-se nessa reunião que as obras seriam custeadas pelo Município a partir de 30 de novembro de 1962, tendo o orçamento previsto de 35 milhões de cruzeiros. 

Registro daquela reunião. Apontando para o projeto, o representante da RFFSA, Osmário Lopes dos Santos. À sua esquerda, o prefeito de Maringá, João Paulino. 

Fonte: Folha do Norte do Paraná - 17 de outubro de 1962 / Gerência de Patrimônio Histórico / Acervo Maringá Histórica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário