17 de fev de 2017

Homenagens a Joubert de Carvalho

Não é novidade que o nome de nossa cidade veio de uma canção composta por Joubert de Carvalho no início dos anos 1930. Como uma forma de reconhecer aquele que criou a "Maringá", o médico e compositor mineiro é a personalidade com maior reconhecimento oficial por parte da municipalidade.

O primeiro deles veio em 1956, quando no final da gestão do primeiro prefeito, Inocente Villanova Jr. deu o nome de Joubert de Carvalho à banda municipal; dois anos depois, por meio da Lei Municipal nº 110/58, a então rua Bandeirantes foi alterada para homenagear o compositor; em 1962, por meio de campanha radiofônica encampada por Antenor Sanches, Maringá ganhou o codinome de "Cidade Canção"; o título de Cidadão Honorário veio em 1970, por meio da Lei Municipal nº 144; dois anos depois, por meio do prefeito Adriano Valente, o busto de Joubert de Carvalho foi instalado na praça Raposo Tavares, de fronte à rua renomeada em 1958; a última homenagem foi em 1991, quando o auditório da Biblioteca Municipal Bento Munhoz da Rocha ganhou o nome de sala Joubert de Carvalho. Naquele mesmo ano, o então prefeito Ricardo Barros tentou adquirir os direitos autorais da música "Maringá" para o município, sem sucesso.

Em uma das muitas visitas que o compositor veio a Maringá, entre os anos 1950 e 1970. Possivelmente, o registro é de 1972. Joubert de Carvalho aparece entre várias autoridades (terceiro da direita para a esquerda), entre eles o então gerente do Banco do Brasil, Mário Bulhões da Fonseca (segundo da esquerda para a direita).


Não restam dúvidas, embora a última homenagem oficial tenha ocorrido há 26 anos, Joubert de Carvalho é, de longe, a personalidade mais homenageada de Maringá.

Fonte: Gerência de Patrimônio Histórico de Maringá / Museu Unicesumar Acervo Maringá Histórica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário