11 de fev de 2010

Polícia de Maringá e a Ditadura Militar

Em reportagem ao O Diário (nov-2009), uma pessoa anônima disse ter resgatado algumas fichas da Policia Civil de Maringá antes de serem queimadas (período de digitalização dos arquivos policiais que ocorreu há cerca de quinze anos). No entanto um dado chama a atenção, dentre os nomes fichados estavam: Fernando Gabeira, Cide Benjamin e João Salgado. Ambos estavam envolvidos no sequestro do embaixador estadunidense Charles Elbrick, em 1969.

Fernando Gabeira, Cide Benjamin, João Salgado.

Por quê Maringá teria esses fichamentos se essas pessoas provavelmente nunca estiveram na cidade?

-------------

A reportagem retirada do jornal pode ser conferida na íntegra neste link: http://www.odiariomaringa.com.br/noticia/230321 , ou no blog do próprio Fernando Gabeira: http://www.gabeira.com.br/gabeira/politico/1468-resgatadas-do-fogo-fichas-de-arquivo-da-policia-civil-de-maringa-revelam-dados-da-ditadura.

-------------

O Prof. Dr. Reginaldo Benedito Dias responde a indagação:

Havia integração de todo o sistema de segurança e de informações. As delegacias estavam integradas nesse sistema. Por um lado, abasteciam o sistema com relatórios sobre fatos e personalidades locais; Por outro, eram abastecidas com as informações necessárias para a vigilância. Cidades do interior eram visadas pelas organizações de esquerda, como ponta de entrada para algum trabalho em área camponesa, ou como abrigo. Maringá cumpriu essas duas funções.


Fonte: O Diário do Norte do Paraná - 17 de novembro de 2009 / www.resistenciaeliberdade.blogs.sapo.pt/483357.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário