26 de ago de 2009

Pioneiro: Alfredo Moisés Maluf

Alfredo Moisés Maluf chegou em Maringá em 1948, vindo de Piracicaba, interior de São Paulo. Em pouco tempo adquiriu o terreno onde a futura empresa se instalaria. No mesmo ano fundou o Posto Santo Antônio, juntamente com uma oficina mecânica, uma loja de peças e uma revendedora de veículos, na Avenida Brasil n.º 4532 (próximo a atual Praça José Bonifácio).

Após a fundação, o Posto se tornou um dos mais conhecidos da região. Na época, a estrada que ligava São Paulo a Curitiba era a Avenida Brasil, motivo que transformou o posto em parada obrigatória para quem fizesse o trecho.

No inicio a revendedora de automóveis comercializava veículos importados, como o Studebacker. Em 1956, passou a revender veículos da DKV e Alfa Romeo.

Como no período eram raros postos de combustíveis, o Posto Santo Antônio foi o único fornecedor de óleo diesel para a usina de energia elétrica de Maringá.

Por muitos anos o Posto foi ponto de referência. Podemos analisar isso, pelo fato de seu proprietário ser muito conhecido na cidade, inclusive tendo ocupado a presidência da Associação Comercial local na terceira gestão, em 1958. Na oportunidade, foi convidado para substituir o então presidente Murilo Macedo, que estava se mudando.

Segundo seu genro, Alfredo dos Santos, Maluf construiu uma pequena vila nas proximidades das empresas, devido as dificuldades de seus funcionários encontrarem moradia.

Maluf faleceu em 1983 e foi homenageado no bairro Hermann Moraes Barros, emprestando seu nome a uma escola da rede estadual de ensino, localizada na rua Arlindo Marquezini.

O Posto Maluf foi arrendado, juntamente com a auto peças, e alterou sua razão social para Comsama – Comércio de Peças e Acessórios para Automóveis Ltda.

Atualmente o Posto Maluf funciona no mesmo local, mas com os ares da contemporaneidade da Maringá dos anos 2000. No espaço, onde antes, abrigava caminhões e carros sujos do barro no estacionamento do posto, hoje podemos ver uma casa de carnes nobres.

Fonte: Revista ACIM - Fevereiro de 1991 - Ano 28 - N.º 307.

2 comentários:

  1. Antes de casar, minha avó trabalhou na casa de Néo Alves Martins e conta que ele e o sr. Maluf eram muito amigos, se visitavam com frequência. O sr. Maluf presenteava seu Néo e Dona Noca com pratos sírios (?), berinjela, que eles apreciavam muito. ellenguilhen@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Francisco Carlos dos Reis Oliveira28/05/2017 06:33

    chicoreis@bol.com.br
    Um ano antes do meu nascimento 1958, meu pai Sr. Francisco Pereira de Oliveira (1916/2006) adquiriu um Alfa Romeu D11000 FNM no Maluf, realizando um sonho antigo, após anos de trabalho duro.

    ResponderExcluir