31 de jul de 2009

Atentado contra o Prefeito Américo Dias Ferraz

"O Jornal" de 28 de dezembro de 1956 deu o título: "Praticamente encerrado o inquérito resultanto do atentado contra o prefeito".

A matéria relatou que a reportagem do jornal esteve na Delegacia no dia anterior para averiguar detalhes do crime praticado contra o então Prefeito Américo Dias Ferraz, que ocorreu no dia 24 de dezembro do mesmo ano. Até então haviam prestado depoimentos: O prefeito agredido; Antonio Carlos Guimarães; Rubens Dalcól; Nestor Narciso de Souza; Jesus Araújo; Tyrso Rodrigues Alves; Durval Francisco dos Santos; Senhora Elvira Balani do Santos; Dr. Aristino Flausino de Almeida; Elomir Jurandir de Aguiar; Olimpio Correio Filho; Haroldo Castro, além de outros.

O atentado aconteceu na porta da Barbearia Líder. A policia técnica (composta pelo Dr. Ruy Altamir da Cruz e o fotográfo Alberto Moreira Fagundes) encontrou no local do crime: sangue e um projétil de bala, calíbre 38.

Neste momento, a investigação quase concluída, já responsabilizava pelo ato, Aníbal Goulart Maia e Santos Oliveira, conhecido com "Santão". Segundo relatos, Santão foi o autor da agressão e tenativa de assassinato contra o Prefeito. O agressor atacou Américo com a cartucheira que portava em um das mãos, na outra, carregava o revolver. Após o ato, Santão entrou no carro de Aníbal, que o aguardava com o motor ligado, e sairam (mais jagunços estavam no interior do veículo) tranquilamente. Após a fuga, Aníbal Goulart ligou para sua esposa da Serraria Santo Antonio, dizendo que "havia dado um couro em Américo Dias Ferraz".

Fonte: O Jornal, Maringá, 28 de dezembro de 1956.

5 comentários:

  1. MIGUEL,se me permite,quero acecentar aqui que dias depois desse atentado,se nao me engano, botaram fogo na casa do Anibal Goulart Maia,vc poderia nos informar `a respeito da veracidade desse fato se possivel? Ateciosamente, SAMUEL LUIZ FURLAN.

    ResponderExcluir
  2. Botaram fogo na casa do Anibal, sim. Populares foram os autores do incendio. Eu era adolescente e vi a casa do Anibal em chamas. Aliás, quem morava por perto, também viu tudo.

    A Casa Anete... Anete é a filha do Sr. Boanerges. Vendia sapatos. O filho mais novo, que era um craque no futebol, jogava no SERM do Maringá Velho..., que por uma fatalidade morreu afogado aos 17 ou 18 anos de idade. Foi uma tristeza sem fim. Todos amavam o garoto.

    Quanto aos Peralta... gente maravilhosa. O Senhor Peralta tem um filho que na época era bom de bola e um excelente acordeonista. Família pioneira e muito estimada em Maringá, mas pouco lembrada, infelimente.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Eduardo30/04/2011 08:34

    Meu bisavô era proprietário da casa peralta, chegaram em maringá em 1947, tenho muito orgulhoso deste pioneiro.

    ResponderExcluir
  4. Meu bisavô Levy Aguiar Tupan era irmão de Dirce Aguiar Maia, esposa de Anibal Goulart Maia. Ouvi algumas história sobre Anibal da própria Dirce, quando ia visitá-la com minha avó em Curitiba. Além das histórias do atentado contra o prefeito, de arrancar o telhado das casas das pessoas que deviam para ele, brigas com a polícia local entre outras, um fato interessante é que Anibal, que era gaúcho, sempre andava de bombacha.

    ResponderExcluir
  5. O meu pai o Rufino trabalho para o anibal neste periodo e contava que o homen era uma fera, meu pai contou que apos o atentado ele
    foi para fazenda Garcia em paranavai.

    ResponderExcluir