15 de mar. de 2020

Histórico da avenida Guedner

São várias as vias públicas de Maringá que foram nomeadas no passado sem que exista qualquer legislação que as proteja. É o caso, apenas para exemplo, das avenidas Brasil, Duque de Caxias, XV de Novembro e Herval, ou das ruas Santos Dumont, Piratininga, entre diversas outras. Em sua maioria, são demarcações que remontam ao período do projeto urbano original, tendo essas denominações sido efetivadas por intermédio da então Companhia de Terras Norte do Paraná que, em 1951, se tornou Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. 

Uma situação semelhante ocorre com a avenida Guedner. Segundo consta, o nome foi resultado de uma falha ortográfica. A homenagem deveria fazer referência ao médico e político curitibano Erasto Gaertner. 

A antiga estrada MA-500 era um pequeno caminho que servia às chácaras da região do Córrego Merlo, próximo ao antigo Aeroporto Regional Gastão Vidigal. 

Mapa parcial da região em 1959.

Em 8 de junho de 1951, o então governador Bento Munhoz da Rocha Neto chegou a Maringá a bordo do avião com prefixo PP-YPS, da Real Aerovias, que foi pilotado pelo comandante Ary Flemming. Segundo consta, foi o primeiro avião dessa companhia aérea a pousar na cidade. 

Naquela oportunidade o governador liderou uma comitiva, que havia sido estimulada pelos deputados estaduais Francisco Silveira da Rocha e Rivadávia Vargas a conhecer o interior do estado com o objetivo de promover a emancipação política de alguns distritos que estavam em acelerado desenvolvimento, como era o caso de Maringá. 


Junto daquela comitiva estava Erasto Gaertner, que havia sido deputado federal e que ocupava cargo de destaque no governo de Rocha Neto. No final de 1951, Gaertner foi eleito prefeito de Curitiba, mas acabou falecendo no exercício do mandato devido a um AVC, em 19 de maio de 1953. 

Como prefeito, Gaertner doou um terreno com mais de 62 mil m² para a então Liga Paranaense de Combate ao Câncer, onde em 1972 seria inaugurado um hospital que hoje leva o seu nome. 


Acredita-se que pela sua relevância e grande potencial político, Maringá nomeou essa via por ter sido um local próximo onde Gaertner teria passado durante sua visita a cidade em 1951. Mas, como apontado inicialmente, a via não possuí nenhuma lei ou decreto que a demarque, oficialmente, com esse nome. Nem podemos precisar quando a antiga estrada MA-500 passou a ser chamada como Guedner, com a grafia equivocada em homenagem a Erasto Gaertner. 

Fonte: Contribuições de Marco Antonio Deprá e João Laércio Lopes Leal / Acervo Maringá Histórica / Museu Bacia do Paraná / Gerência de Patrimônio Histórico. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário