19 de mai de 2019

Pioneiro: Arthur Hugh Miller Thomas

Arthur Hugh Miller Thomas nasceu em Edimburgo, capital escocesa, no ano de 1889.

Depois de concluir os estudos, adquirir experiência em comércio e trabalhos literários, Arthur Thomas foi para o Oriente, onde ficou 4 anos, especialmente em Singapura. Também passou pela Península Malaia e pela China, dedicando-se ao jornalismo, à cultura da borracha e outros serviços. 

Durante a I Guerra Mundial alistou-se como voluntário, servindo entre os anos de 1914 e 1918. No fronte, Arthur Thomas foi ferido por duas oportunidades na França, sendo igualmente condecorado por sua bravura. Ainda, chegou a ocupar o posto de comandante de uma das companhias mais significativas do regimento escocês. 

Em 1919, Arthur Thomas foi selecionado para administrar uma grande fazenda de algodão no Sudão. Eram mais de mil alqueires destinados para essa e outras culturas. A Sudan Plantations Syndicate era um empreendimento de propriedade de Simon Joseph Fraser, o famoso Lord Lovat.

No final de 1923, junto de um grande grupo de investidores, Lord Lovat chegou ao Brasil com o objetivo de encontrar grandes áreas para o cultivo de algodão e também para investimento imobiliário. Com isso, Arthur Thomas coordena a criação da Companhia de Terras do Paraná (CTNP), que tinha como subsidiária a Paraná Plantations Limited, em setembro de 1925.  

Quanto ao algodão, foram cinco anos tentando trabalhar com essa cultura em solo brasileiro sem sucesso. Havia outras prioridades do mercado estadual e nacional naquele período. Assim, Arthur Thomas dedicou sua atenção à colonização por meio de amplo projeto imobiliário que passou a ser desenvolvido nos mais de 515 mil alqueires paulistas, inicialmente, adquiridos do Governo do Estado do Paraná. 

Mister Thomas, como ficou conhecido, atuou como diretor-gerente da CTNP entre 1925 e 1949, quando foi substituído por Hermann Moraes Barros. Ao se retirar, passou a atuar em uma fazenda nas imediações de Londrina. Morreu aos 71 anos vítima de um câncer. 

Fonte: Revista A Pioneira - Setembro e Outubro de 1949 / Acervo Maringá Histórica. 

2 comentários:

  1. É muito bom conhecer a história de pessoas que construíram nosso Estado, nossos municípios.

    ResponderExcluir
  2. Legal conhecer história dos pioneiros e quem são as pessoas que dão nome as ruas e avenidas da cidade!

    ResponderExcluir