28 de abr. de 2019

Pioneiro: Mário Clapier Urbinatti

Mário Clapier Urbniatti, possivelmente, no início da década de 1970.

Com texto e colaboração do pesquisador Marco Antonio Deprá:

Mário Clapier Urbinati nasceu em Belém-PA, no dia 10 de setembro de 1900. Com meses de idade mudou-se com sua família para São Paulo-SP, onde fez todos os estudos, diplomando-se pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, instalada no Largo de São Francisco.

Foi professor de história e geografia e diretor interino do Ginásio Estadual e Escola de Comércio de Nova Granada, pequena cidade próxima a São José do Rio Preto-SP, onde também foi Juiz de Paz e Promotor Público interino. Na capital paulista foi Delegado de Polícia.

Em São José do Rio Preto atuou como comerciante e advogado. Em 1920 abriu a primeira agência de revenda Ford da cidade, em sociedade com o empresário e político Feliciano Salles Cunha. Também foi proprietário dos cinemas Cine Boa Vista, Cine São José e Cine Capitólio e presidente do Esporte Clube Granadense, de Nova Granada.

Em 1950, então com 50 anos de idade, transferiu-se com esposa e filhos para Maringá-PR, onde instalou o seu escritório de advocacia.

Seu filho, Mário Luiz Pires Urbinati foi eleito vereador pelo Partido Republicano (PR) na primeira eleição municipal de Maringá. Obteve 222 votos, sendo o oitavo colocado nas eleições. Foi o candidato mais jovem a se eleger vereador na primeira legislatura (14/12/1952 a 14/12/1956), com 25 anos de idade. 

Nas eleições de 1954 e 1958, Mário Clapier foi candidato a Deputado Estadual pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em 1954 obteve 1.754 votos e ficou na 10ª vaga de suplência do seu partido. Em 1958 obteve 1.453 votos e ficou na 24ª vaga de suplência do seu partido.

Durante a década de 1950, Mário Clapier foi um dos principais redatores do periódico O Jornal de Maringá, onde mantinha a coluna “Crônica da Cidade” e “Crônica da Semana”. 

Nas eleições municipais de 1960, Mário Clapier Urbinati candidatou-se a vereador pelo Partido Social Democrático (PSD). Foi eleito com 353 votos sendo o quinto candidato mais votado. O seu partido obteve cinco das quinze cadeiras da Câmara Municipal de Maringá na 3ª Legislatura (14/12/1960 a 13/12/1964). Sua eleição foi um fato sui generis na política maringaense: a primeira e única vez que alguém foi eleito vereador depois do filho – normalmente é o filho quem herda os votos do pai.

Inicialmente Mário Clapier ocupou o cargo de primeiro secretário do Poder Legislativo. Bom orador, foi eleito Presidente da Câmara Municipal de Maringá, cargo que ocupou no período de 1º de fevereiro de 1962 a 1º de fevereiro de 1964. No período de 11 de fevereiro de 1963 a 26 de março de 1963, assumiu interinamente o cargo de prefeito durante a ausência de João Paulino Vieira Filho.

Em 25 de março de 1964, a Resolução nº 56 da Câmara Municipal de Maringá considerou Mário Clapier Urbinati o primeiro vice-prefeito de Maringá, atendendo à legislação estadual que determinou a criação deste cargo nos municípios paranaenses. Tomou posse em 4 de abril de 1964, exercendo o cargo até o final do mandato, em dezembro daquele ano.

Mário Clapier Urbinati, experiente advogado criminalista, foi um dos mentores do então jovem advogado Horácio Raccanello Filho, que atuava como seu assistente na banca advocatícia instalada na avenida Duque de Caxias, nº 257 em questões de família, inventários, inquilinato, cobranças, concordatas e falências.

Mário Clapier foi membro da Loja Maçônica Justiça de Maringá e do Rotary Clube de Maringá.

Segundo sua neta, Ruth de Queiroz Urbinati Silva, Mário Clapier foi um dos articuladores da campanha que levou o então Deputado Estadual Haroldo Leon Peres a apresentar projeto na Assembléia Legislativa do Paraná que culminou na aprovação da Lei Estadual nº 5.218, de 23 de dezembro de 1965, que criou o curso de Direito em Maringá, um dos embriões da Universidade Estadual de Maringá.

Em 25 de setembro de 1968, a Câmara Municipal de Maringá, por meio da Resolução nº 120, outorgou o título de Cidadão Benemérito de Maringá a Mário Clapier Urbinati, primeiro vice-prefeito da cidade. A entrega do título deu-se no dia 20 de setembro 1969, na mesma sessão em que o Cônego Benedito Vieira Telles também foi agraciado com o título de Cidadão Benemérito.

Algum tempo após o falecimento de sua esposa Maria Izabel Pires Urbinatti, ocorrido em março de 1965, Mário Clapier foi morar com um dos filhos, ainda em Maringá. Depois, passou uma temporada em São José do Rio Preto, onde faleceu numa noite de domingo, em 28 de abril de 1974. Tinha 73 anos de idade. Deixou quatro filhos e doze netos. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Municipal de Maringá.

Mário Clapier Urbinati empresta seu nome à via pública que se estende da praça Pioneiro Jacinto Ferreira Branco até a Rua Professor Lauro Eduardo Werneck, próxima à UEM, em Maringá.

Fonte: Pesquisa e texto de Marco Antonio Deprá / Acervo Maringá Histórica. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário