26 de nov de 2017

Templo Aberto e Monumento à Bíblia - Década de 1970

A praça Raposo Tavares foi objeto de desejo ao longo de boa parte de sua história. 

Esse espaço público nasceu em 1947 junto do início das vendas do Maringá Novo. Dez anos depois ganhou o seu primeiro monumento: a fonte luminosa que, por décadas, foi ponto turístico de Maringá. 

Por meio da lei criada pelo vereador Tércio Hilário de Oliveira (MDB), em 1975 o então prefeito Silvio Barros inaugurou no mesmo local um espaço que ficaria conhecido como Templo Aberto. A estrutura consiste em um palco, no estilo "meia concha acústica", instalado de frente para uma arquibancada de concreto. Vinte anos depois, o pastor e vereador Nilton Tuller oficializou o local como de uso exclusivo para cultos ecumênicos e apresentações artísticas (Lei Municipal nº 3.872/95).

Praça Raposo Tavares: inauguração do Templo Aberto, em 10 de outubro de 1975, com a presença de aproximadamente 5 mil pessoas.

O então prefeito, Silvio Barros durante o seu discurso na inauguração do Templo Aberto, em 1975.

Templo Aberto na praça Raposo Tavares. 

Em 1979, o então prefeito João Paulino Vieira Filho viabilizou a construção do Monumento à Bíblia na mesma praça. Contudo, o projeto para essa finalidade era anterior, ainda da gestão de Adriano José Valente (Lei Municipal nº 824/71), e previa que esse monumento fosse construído na praça Nações Unidas - que ficava entre a Estação Rodoviária Municipal e a Estação Ferroviária. 

Inauguração do Monumento à Bíblia na praça Raposo Tavares.

Fonte: Acervo Maringá Histórica / Acervo Nilton Tuller / Museu Unicesumar / Contribuição - Loide Caetano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário