6 de out de 2017

Imagem de Nossa Senhora Aparecida: a santa do Parque do Ingá

O Parque do Ingá foi fundado em 10 de outubro de 1971, quando o então prefeito Adriano José Valente organizou uma equipe de técnicos e consultores agronômicos e ambientais para transformar o Bosque I em um equipamento público para o uso da comunidade.

Segundo documentos e depoimentos, por volta de 1969 o prefeito circulava com seus assessores no interior das matas dessa área quando encontrou uma pequena gruta formada pela nascente do córrego Moscados - inclusive, anos depois essa mina d'água serviria para abastecer o grande lago artificial no interior do parque. O local foi demarcado com muros de arrimo em tijolos furados.

Registro da gruta do Parque do Ingá, com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, no início da década de 1970. Movimento intenso nos finais de semana.

Devido a sua devoção, Adriano Valente sugeriu que fosse instalada uma imagem de Nossa Senhora Aparecida nesse ponto. Houve questionamentos e surgiu outra proposta, de que o espaço fosse ocupado pela imagem de Nossa Senhora de Lourdes. Embora ambas tivessem sido encontradas nas águas, segundo seus devotos, a opção proposta pelo então prefeito tinha procedência brasileira, e, por isso, foi a imagem selecionada para a gruta.

A réplica precisava ter caráter oficial. Para isso, descobriu-se na época que existiam dois padres em Aparecida, interior de São Paulo, que talhavam tais imagens e as santificavam pelo contato direto com a verdadeira estátua de Nossa Senhora Aparecida. Foi quando Adriano Valente solicitou apoio ao então governador do Paraná, Haroldo Leon Peres, que havia residido em Maringá anos antes. Peres assumiu o compromisso de adquirir e doar a imagem, conforme esses critérios, ao Parque do Ingá.

Foi o diretor do extinto BADEP (Banco de Desenvolvimento do Paraná), Clóvis do Espírito Santo, que seguiu em 1971 até Aparecida do Norte para encontrar os padres talhadores. Também devoto da figura cristã, Espírito Santo descobriu na cidade que os artistas haviam falecido, mas que existia uma imagem que estava exposta em uma livraria religiosa. Essa estátua havia sido talhada por outro padre, Alfredo Morgado, tendo sido santificada em solenidade realizada no dia 12 de dezembro de 1953.

Mesmo com a chuva, milhares de pessoas recepcionaram a imagem no Aeroporto Gastão Vidigal, em 10 de outubro de 1971.

A imagem de Nossa Senhora Aparecida seguiu com o carro do Corpo de Bombeiros até a Catedral. Depois, para foi levada para a gruta do Parque do Ingá. 

No dia 10 de outubro de 1971, devido a chuva, o avião que trouxe a imagem de Nossa Senhora Aparecida, junto do então governador Haroldo Leon Peres, teve que descer em Londrina. Para Maringá, seguiram de carro até o Aeroporto Gastão Vidigal, onde uma grande multidão os aguardava. Depois, sobre o carro do Corpo de Bombeiros - decorado para essa finalidade, a imagem foi levada à Catedral e, de lá, para a gruta, no interior do Parque do Ingá.

Haroldo Leon Peres e Adriano José Valente entregam a imagem para o bispo Dom Jaime Luiz Coelho, na entrada da gruta.

Na entrada da gruta, Haroldo Leon Peres entregou a imagem para o bispo da cidade, Dom Jaime Luiz Coelho, que a dispôs em um pedestal localizado bem em cima da mina d'água. A partir desse dia, iniciou-se uma grande peregrinação de fies até o local em busca de bênçãos e milagres. Jornais dos anos 1970 chegaram a registrar curas, muletas deixadas por lá, cartas e mensagens de graças alcançadas. Inclusive, um guarda do local afirmou que o ciclo da nascente aumentou muito com a vinda de Nossa Senhora Aparecida para a gruta.


Fé e devoção: garoto enche garrafa com água da nascente, sob os pés da imagem. No outro registro, pertences deixados por devotos na esperança da conquista de milagres. 

Fonte: Acervo Maringá Histórica / O Diário do Norte do Paraná, de 29/30 de junho de 1974.

Nenhum comentário:

Postar um comentário