20 de fev de 2013

Pioneiro: Amorim Pedrosa Moleirinho

Alcides Siqueira Gomes, então presidente da ACIM, e o diretor Amorim Pedrosa Moleirinho, em discussão no então Auditório Herbert Mayer na sede da entidade, em 1988.

Em fevereiro de 2012, ao lado da jornalista Rubia Pimenta, entrevistei o empresário de origem portuguesa Amorim Moleirinho. Foi em uma sala de uma das empresas mais antigas de Maringá, o Curtume Central, que ele concedeu esta entrevista à Revista ACIM. Receptivo e com uma memória viva e infalível, ele contou detalhes de sua trajetória. Mais do que relembrar a história de seus empreendimentos, conversar com Moleirinho é uma oportunidade de conhecer um pouco do desenvolvimento da indústria e do comércio de Maringá. Português de Leiria, ele imigrou ao Brasil com 19 anos. Moleirinho fala com a propriedade de quem chegou à cidade quando as ruas ainda não eram asfaltadas e viu de perto o crescimento do município. Mas não se contentou em apenas observar. Como empresário, iniciou seu trabalho em um açougue, e em pouco tempo investiu em um frigorífico, um curtume e outros negócios agropecuários pioneiros na região, formando um grupo que chegou a ter três mil funcionários. Moleirinho participou da diretoria da ACIM por 26 anos, foi coordenador regional da FIEP, é cônsul honorário de Portugal em Maringá, foi presidente do Centro Português, que ajudou a fundar, além de ser um dos criadores da Casa Lar, entre tantas outras funções que ajudam a consolidar seu título de cidadão honorário da cidade.

Confira abaixo a trascrição desta entrevista:



Amorim Moleirinho faleceu no dia 23 de fevereiro de 2013.

Fonte: Centro de Documentação Luís Carlos Masson / Acervo Maringá Histórica.

Um comentário:

  1. O TRABALHO E A PERISTêNCIA FIZERAM DA FAMILIA MOLEIRINHO DEIXAR UMA GRANDE PÁGINA NA HISTÓRIA DE MARINGÁ. QUERO DEIXAR MINHAS CONDOLÊNCIA A FAMÍLIA

    ResponderExcluir