18 de mai de 2011

As rodoviárias de Maringá

Antes da Rodoviária, que foi nomeada Américo Dias Ferraz, ter sido inaugurada em 1962, Maringá já havia instalado três outras.

A primeira foi erigida no início da década de 1940, no "Maringá Velho", na Avenida Brasil esquina com a então Rua Jumbo, atual Rua Dr. Lafayette da Costa Tourinho. Ao seu lado estava o primeiro hotel da cidade, o Campestre, que ficou conhecido como Hotel Maringá.

O prédio da primeira Rodoviária, já em desuso.

Em 1947, contemplando o novo plano urbanístico da cidade, a segunda rodoviária teve as obras iniciadas na Praça que viria a ser conhecida como Praça da Rodoviária (hoje Praça Napoleão Moreira da Silva). Alguns antigos moradores relataram, recentemente, que durante um curto período as duas estruturas funcionaram simultaneamente, uma no "Maringá Velho" e outra no "Maringá Novo".

Segunda Rodoviária capturada por Kenji Ueta em 1953.

No final da década de 1950, o então prefeito, Américo Dias Ferraz, iniciou as obras da nova e arrojada estrutura da Rodoviária, que penssara ele, seria definitiva. Mas, antes da conclusão da obra, o embarque e desembarque da Praça Napoleão Moreira da Silva foi demolido. Assim, um prédio provisório foi edificado em frente da Praça Raposo Tavares, onde em 1962 seria inaugurada, já na gestão de João Paulino Vieira Filho, a nova Rodoviária.

Vestígios da Rodoviária provisória instalada em frente a Praça Raposo Tavares. Ao fundo, a Estação Ferroviária - Final da década de 1950.

Em 2011, a Rodoviária Américo Dias Ferraz (que recebeu a alcunha em homenagear ao prefeito que a idealizou) foi demolida.

Rodoviária Municipal - 1970.

A 10 de novembro de 1998, o novo Terminal Rodoviário denominado Jamil Josepetti passou a operar na Avenida Tuiuti - Bairro Villanova.

Fonte: Acervo JC Cecílio / Museu Bacia do Paraná / Acervo Maringá Histórica.

4 comentários:

  1. E por fim em 2010 - 2011 a destruição ! :(


    Welber - Maringá

    ResponderExcluir
  2. Miguel .
    São meus olhos ou tem uma cruz nessa ultima imagem encima da Rodoviária ????

    Welber - Maringá

    ResponderExcluir
  3. Exato. Sempre defendi a ideia de que Américo Dias Ferraz sugeriu que a Rodoviária fosse concebida em formato de arca e com uma cruz em seu telhado. Os arcos simbolizariam as entradas para o paraíso.

    ResponderExcluir
  4. Mas Miguel, estão tinha essa cruz? Bom para te dizer a verdade eu não gosto nem de passar perto de onde a rodoviária estava, sinto muito por ter derrubada, eu adorava ver ela sempre por ali.

    Welber

    ResponderExcluir