12 de nov. de 2009

Hospital Modelo

Ficava localizado ao lado da Sede Social do Aero Clube de Maringá, na Avenida São Paulo (atual Shopping Maringá Park).

Fonte: Museu Bacia do Paraná - UEM

3 comentários:

  1. ESTOU PROCURANDO INFORMAÇÕES DE UM PACIENTE DESTE HOSPITAL MAS NÃO SEI ONDE IR JA QUE O HOSPITAL NÃO EXISTE MAIS.ONDE PÓSSO ENCONTRAR INFORMAÇÃO SOBRE O MESMO DO ANO DE 1975? OBRIGADA PELA ATENÇÃO

    ResponderExcluir
  2. Minha avó, Brasilina Maria de Jesus, trabalhava neste hospital, na década de 1960. Dois irmãozinhos meus morreram aí, bem bebezinhos ainda. Tiveram um excelente tratamento, mas não resistiram. Não me lembro qual doença.Se não me engano, naquela época a chefe das enfermeiras era a Dona Aparecida. Era filha do meu padrinho Francisco, família italiana. O Dr. Galileu era o médico da nossa família, muito dedicado e competente. O Dr. Flávio era o Diretor, se não me falha a memória. Gostaria de ver um vídeo sobre este hospital. Sempre ia até lá para passar o dia com a minha avó. Morávamos na Avenida da Laguna, perto do início (ou fim...) da Avenida Riechuelo, em frente ao Bosque do Ingá, defronte da descida da antiga estrada boiadeira, onde desciam as boiadas destinadas ao Frigorífico Luso-Brasileiro Central Ltda. Estou a muitos anos no Amazonas, resido em Manaus e estou agora com 69 anos. Tenho muitas saudades da minha Maringá. Estudei no Colégio Paroquial Santo Inácio (depois Ginásio Santo Inácio) e no Grupo Escolar Theobaldo Miranda Santos. Nascí em Jacarèzinho, mas a minha infancia e Juventude passei em Maringá, saindo com a idade de 17 anos, quando nos mudamos para Umuarama. Meu pai, Trajano Asdrúbal Dias, cantava no programa "Maringá se Diverte", acompanhado por "Britinho e Seus Cometas" (depois Britinho e seu Conjunto). Ele é o compositor da música "Por Um Sorriso Teu", gravado pela dupla Zezinho e Zorinho. Foi a época de Orlando Manim (Coronel do Rancho) e Antônio Mário Manicardi (Nhô Juca). Estudei e fui amigo do Marcos Taguchi e também do Sérgio Garcia. Saudades daquele tempo! Saudades da irmã Jutta (diretora do Colégio Santo Inácio), da irmã Sturm (a gente dizia Stúrmia), minha querida professora de religião. E da Dona Arlete, minha professora de Português. Do padre Francisco e especialmente do padre Osvaldo, um santo homem e grande conselheiro. E de Don Jaime Luiz Coelho, que era o nosso bispo. Tive também o prazer de conhecer o Dr. Jamil Josepetti, e a querida Ouricena Vargas Pinto (Cenita), do Cartório Vargas, que foi uma mãe para mim. Será que o Marcos Taguchi e o Sérgio Garcia ainda estão vivos? Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Meu Email para correspondência: prsadias@hotmail.com

    ResponderExcluir