25 de set de 2009

1º tragédia aérea de Maringá

A data do acontecimento é 11 de maio de 1957, durante a semana de festividades do décimo aniversário da cidade. Em meio aos cortejos e desfiles que cruzavam a Avenida Brasil, vieram cinco aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para prestigiar o evento com manobras, impressionando o público. Dentre eles, uma atingiu o solo prematuramente.
 
A aglomeração em torno do acidente. Vemos do lado direito o caminhão do Corpo de Bombeiros
Como o avião caiu de bico, esta foi a única parte reconhecível que sobrou do avião

A aeronave de prefixo T-6-D-1634 tocou uma de suas asas em um dos mastros fixados na Praça Raposo Tavares, destacando-a do equipamento. Já desgovernado, chocou-se contra a casa do motor de luz da Rede Viação Paraná-Santa Catarina, na Estação Ferroviária. Os dois ocupantes: 1º Tenente Dagoberto Seixas dos Anjos e o 2º Tenente Afonso Ribeiro Melo, tiveram morte instantânea.
 
O mastro responsável pelo acidente

O acidente reduziu significativamente o número de presentes na cerimônia de transferência do Aeroporto local ao Ministério da Aeronáutica, que fazia parte da agenda dos cortejos, que estavam programados para seguirem durante três dias.
--------

Agradecimento ao José Flauzino pelo envio de material imagético.

Fontes: Um trem chamado Maringá (o autor) / Maringá Ilustrada - Agosto de 1957.

Um comentário:

  1. Minha avó Altair, hoje com 82 anos, morou na cidade entre a década de 40 e 50. Ela se lembra desse acidente. Disse que as mulheres saíram para o quintal para olhar os aviões voando bem baixo, até que viram - da av. Mauá - uma fumaça erguendo da praça. Nesse evento havia um homem andando de bicicleta sem parar por 48 horas (ganharia um prêmio. Pelo que entendi a exibição fazia parte das comemorações) e quase foi atingido pela aeronave.

    ResponderExcluir