31 de ago de 2009

Misticismo Maringaense: O menino bandido Saroê

Durante a década de 1960, 1970 e início da de 1980, a lenda viva que tomou conta do imaginário popular da Vila Operária e de Maringá, foi a do "Menino Bandido Saroê".

Essa personalidade, que andava nos caminhos fora da lei, tinha apreço pelo seu bairro de origem (Vila Operária) e assim assaltava em outras vizinhanças, devido a sua simpatia.

A lenda, com ele em vida ainda, dizia que o Saroê tinha poderes paranormais, que o transformavam em objetos e animais variados. Esse seria um dos motivos que a polícia nunca conseguia prendê-lo. Quando estava em fuga dos policiais, se transformava em tocos, toras, árvoes, etc.

José Miguel da Silva, nascido em 1951, chegou a ver Saroê em um bar que ficava na Praça das Américas, na Vila Operária.

Quando a lenda morreu na décade de 1980, o misticismo aumentou, mas hoje, somente os maringaenses mais antigos se lembram do "Menino Bandido Saroê".

Fonte: Entrevista com o historiador João Laércio Lopes Leal concedida ao autor em 31 de agosto de 2009. Entrevista com José Miguel da Silva concedida ao autor em 31 de agosto de 2009. Agradecimento ao Prof. Dr. Reginaldo B. Dias.

2 comentários:

  1. Não lembro da lenda. Lembro da da fama de bandido do Saroê. Morei na Vila Operária na época dele e por lá sua fama era grande sim. Mas, repito, não pelo misticismo. Por ser um fora-da-lei.

    ResponderExcluir
  2. Morei lá tb...é verdade ..nessa epoca a policia era um Jeep com o titulo de "28"...lá vem o vinte eoito era o numero da viatura...morava na rua barroso eta poeira e terra vermelha..tempo bom

    ResponderExcluir